quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Religiosidade X arrependimento genuíno de pecados

Gostaria de falar um pouco sobre um assunto que é, ao meu ver, essencial para quem deseja seguir a Cristo verdadeiramente: o que é seguir a Cristo e o que não é.
  
Existe uma grande diferença entre como um verdadeiro seguidor de Cristo e um não seguidor se comportam. E esta diferença está determinada pela motivação: o primeiro é motivado a obedecer a Deus através do conhecimento e entendimento da Sua palavra, o segundo, pelo que vê, sente e deseja, e por suas vivências no mundo.

Existem ainda os pseudo-seguidores de Cristo, que são os religiosos. Estes, seguem o que as filosofias religiosas dizem e irão se comportar exatamente como não seguidores, porque a religiosidade os levará a tomarem decisões com base em aparências, sentimentos e desejos, e não no que Cristo diz. 

Uma pessoa que segue mesmo a Cristo vai procurar aprender o que Ele ensina para seguir, por causa de sua fé em Deus. A verdadeira fé em Deus sempre levará as pessoas a procurarem aprender o que Jesus ensina, trazendo a estes indivíduos o arrependimento sincero de suas transgressões diante do Pai. 

Este arrependimento obrigatoriamente tem de acontecer, pois, cada pequena parte do ensino do Senhor Jesus traz um confronto entre a realidade eterna e a realidade que vivemos neste mundo, e que são completamente diferentes uma da outra.

Se, ao ler e meditar na palavra de Deus, o sujeito não é levado a rever seus conceitos e não cai em si mesmo, para reconhecer seus erros e ser conduzido a mudar de atitude, para ser o mais parecido com Cristo quanto possível, é sinal de que não está buscando a Deus da forma correta, ou não está sendo ensinado corretamente.  

Então, é deste arrependimento genuíno de pecados que deve surgir a mudança no comportamento de um verdadeiro Cristão, e não de filosofias religiosas, como por exemplo, "agora você é crente, não pode mais vestir calças, fazer maquiagem, ou usar jóias (se for mulher)" ou "agora você é crente, não pode mais vestir bermudas, e tem que ir para a igreja de paletó (se for homem)". Frases como estas não estão fundamentadas no ensino de Cristo, e são apenas fruto de um sentimento de querer ordenar as coisas com base na aparência exterior.

Filosofias religiosas sempre vão apregoar e impor mudanças no exterior das pessoas juntamente ao exercício de sacrifícios que a princípio soam bem, fazem as pessoas se sentirem úteis e importantes, como também acharem que estão sendo aceitas por Deus; contudo, tais ensinamentos não estão levando ao arrependimento de pecados verdadeiro advindo da fé em Jesus Cristo, que é o item único e primordial pelo qual alguém entra no Reino de Deus, sendo então ouvido e considerado por Ele. 

A religiosidade, de fato, camufla as transgressões que temos diante de Deus e coloca mais pesos sobre o homem, que se somam aos pesos dos próprios pecados que ele mesmo já leva. Com o tempo, ela se torna enfadonha e difícil de suportar. Este é o motivo pelo qual tantas pessoas abandonam suas congregações e voltam a levar suas vidas como eram antes de decidirem "aceitar Jesus".  

Deus, ao contrário das religiões, não trabalha com imposições, mas, confronta as pessoas com a verdade infalível que está dentro do que Ele mesmo criou e decretou eternamente. Diante de um confronto sincero, se estivermos errados, com certeza seremos levados ao reconhecimento do erro e ao arrependimento. É assim que Ele nos faz enxergar como e onde estamos errando, de uma forma que a prática religiosa não pode fazer. E, ao contrário do que muitos pensam, estes confrontos duram por toda a nossa vida na terra, visto que "o espírito está pronto, mas, a carne é fraca" (Mateus 26:41). 

O arrependimento de pecados é, portanto, uma obra totalmente sobrenatural, sem interferência da inteligência humana. É muito comum existirem pessoas eloquentes, que dominam a letra, ou o conteúdo textual da Bíblia, mas, não permitem que Deus as confronte através deste conteúdo.

Elas preferem dizer o que sabem, tentando decorar, entender e ensinar as escrituras pela força do intelecto e do raciocínio natural, deixando de lado a realidade eterna que a palavra de Deus evoca tão fortemente. Tais pessoas precisam ser quebrantadas pelo Senhor para poderem dar espaço ao arrependimento de pecados, e, por fim, aceitarem o governo de Cristo sobre suas vidas sem opor resistência.

Muitas pessoas, ao aceitarem Jesus, o fazem de maneira verdadeira, crendo naquele que morreu na cruz para justificar a humanidade de suas transgressões, contudo, não são conduzidas a Cristo da forma correta por suas lideranças. O que ocorre é que tais pessoas são apresentadas à religiosidade e ensinadas a se comportar e tomar decisões através dela. Isso causa muitos transtornos, e leva cristãos todos os dias a esfriarem na fé. No entanto, isso não é desculpa para desacreditarmos em Deus, desanimarmos de ir à igreja ou deixarmos de busca-lo. 

Jesus Cristo não tem nada a ver com religiões e crenças humanas, apesar de ter nascido e sido criado no judaísmo; observando que a maneira como Ele se comportava com relação ao cumprimento da Lei era diferente em alguns aspectos, pois Ele veio revelar à humanidade quem realmente Deus é, e o que Ele deseja para todos nós: salvação.

Então, de fato, Ele não fundou nenhuma religião; na verdade, Ele veio para "anunciar a existência do Seu Reino", que é um LUGAR NA ETERNIDADE e não uma filosofia ou uma religião terrena, e, por conseguinte, anunciar que o Pai está perdoando a dívida que temos com Ele e está disposto a nos receber neste Reino mediante a fé em Seu Filho Jesus Cristo.

Existem diversas divisões de credo dentro do cristianismo (Católico Romano, Católico Ortodoxo, Evangélico Tradicional, Evangélico Contemporânea, etc.) que caracterizam o conjunto religioso cristão, e dentro desse conjunto está inserido uma parte do Corpo de Cristo na terra. Nessas religiões observamos as diversas maneiras de como as pessoas que não enxergam o Reino de Deus através das escrituras escolhem se comportar com relação ao que interpretam a partir do conteúdo do Antigo e Novo Testamento, e os acréscimos de conhecimentos que elas fazem ao evangelho.

Esses acréscimos podem se misturar de tal forma com o conhecimento da Justiça de Deus que, em certas congregações, chegam a encobrir a verdade que liberta advinda do ensino de Cristo; e isso é muito perigoso, tendo em vista que as pessoas acabam deixando de lado a justiça do Reino revelada através do que Cristo ensinou, para viverem de acordo com doutrinas humanas.

Então, o problema não está em termos uma religião, mas, sim, em não entendermos a Justiça de Deus revelada através do evangelho do Reino e assim nos comportarmos como religiosos, ao invés de agirmos como cidadãos do Reino de Deus.

Jesus Cristo é Deus, e veio até nós para nos revelar de uma vez por todas quem realmente Ele é. O Antigo Testamento da Bíblia nos aponta o pecado e como Deus o condena; já o Novo Testamento nos aponta o amor d'Ele por sua criação, o sacrifício que Ele fez para nos dar a chance de sermos redimidos dos nossos pecados, e como Ele está aberto a perdoar e receber os que de bom grado quiserem se aproximar. Quem quiser se reconciliar com Deus, deve fazê-lo pela fé em Cristo, de todo o coração, buscando conhecê-lo de fato. Só existe este caminho para chegarmos ao Pai.

Missionária Oriana Costa.  

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Uma notícia especial.

Hoje é terça-feira, 08 de novembro de 2016. Estamos chegando ao fim do ano; os dias estão passando rapidamente. Nunca o tempo passou tão rápido como agora, quando o conhecimento se espalha na terra de uma forma veloz e até assustadora: por uma lado isso nos beneficia, mas, por outro, multiplica grandemente a maldade.  

As vinte e quatro horas de um dia não são mais suficientes para fazer tudo que gostaríamos, e milhares de informações vem até nós num abrir e fechar de olhos. Tudo é muito rápido, as notícias se espalham pelo mundo todo dentro de alguns segundos. 

Uma das notícias que estão rodando pelo mundo, e já faz tempo (cerca de dois mil anos!) é que Jesus Cristo está voltando. É uma notícia um tanto "antiga". E por ser tão antiga, muitos dizem que é mentirosa, que é apenas uma lenda religiosa.

No entanto, posso atestar com todas as letras que não é. Alguém pode se perguntar como tenho tanta certeza disso, e a resposta que eu tenho é esta: a palavra de Deus está sendo confirmada pelos fatos que acontecem no mundo, ano após ano. Todos os sinais contidos nas escrituras estão se cumprindo.

De fato, estes sinais descritos na Bíblia são percebidos por quem conhece bem seu conteúdo. Quem não conhece, situação de boa parte dos habitantes da terra, não tem noção do que realmente significa tudo o que lhes acontece ao redor.

São tantos sinais acontecendo ao mesmo tempo e sucessivamente, que, para quem conhece a Deus e tem certeza de que Ele cumpre fielmente o que promete (apesar de muitos desses sinais acontecerem envolvendo grande sofrimento e morte de muitos cristãos), ficamos ansiosos e até alegres na expectativa de que o Rei Jesus Cristo pode, sim, mostrar Sua face resplandecente a qualquer momento agora.

A volta do Senhor Jesus Cristo será um acontecimento como nunca antes visto, e para os que creem n'Ele e o estão aguardando, assim como instrui a Sua palavra, será um evento de muita celebração. Porém, para os que não creem, será um momento de grande dor. 

Na sua vinda, todas as nações da terra contemplarão a presença gloriosa do Senhor, e os que não acreditaram na mensagem de anunciação do Reino de Deus irão se lastimar e chorar. Para estes não haverá segunda chance, pois, por sua imensa bondade e misericórdia, o Pai esperou todo este tempo (mais de dois mil anos!!!!) para que pacientemente a mensagem de justificação eterna pela fé em Cristo fosse divulgada, e todos tivessem oportunidade de acessá-la e crer nela ou não.

Há uns três anos, comecei a usar as redes sociais das quais faço parte (Facebook, Twitter, Instagram, Whatsapp) para anunciar o Reino de Deus e a iminente volta de Cristo. Quem acessar meu perfil no Facebook e conferir minha timeline, por exemplo, verá que faz bastante tempo que não posto nada pessoal, mas somente o evangelho e notícias/pregações que levem as pessoas a considerar e refletir sobre a mensagem de salvação.

Estou fazendo minha parte, e vou fazê-la até meu último instante neste mundo. Desejo de todo o coração que, todos os que tiverem acesso aos meus perfis nas redes sociais e aos meus blogs, que ainda não creram em Jesus Cristo e ainda não o aceitaram como Senhor e salvador de suas vidas, sejam tocados pelo Espírito de Deus e cheguem ao pleno conhecimento da verdade que liberta, e sejam salvos da condenação eterna.

Ele está voltando!!!!

"Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele. Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no nome do Filho Unigênito de Deus." (João 3:16-18, Nova versão internacional)

"Estas palavras são verdadeiras e dignas de confiança". (Apocalipse 21:5, Nova versão internacional)

Missionária Oriana Costa.


Sigam-me - Considerações sobre Mateus capítulo 4 - Parte 3

 Em breve mais uma postagem. Aguardem! ☺️