terça-feira, 18 de julho de 2017

Já tenho Jesus no meu coração...

Nesses 22 anos de caminhada na fé, enquanto evangelizo, tenho ouvido muito a frase "já tenho Jesus no meu coração", quando pergunto se a pessoa deseja aceitar Jesus Cristo como seu Senhor e suficiente salvador, depois que a palavra de Deus e as boas novas do Reino são anunciadas.

O Brasil é considerado um país cristão, pois a maioria dos habitantes se declara católica ou evangélica. Contudo, dizer que é católico ou evangélico não confirma que Cristo está mesmo dentro do coração de alguém. 

A maioria das pessoas que dizem "já tenho Jesus em meu coração" não o conhecem de fato; e isso é bem simples de notar, pois uma boa parte delas nem sequer sabe realmente porque Jesus teve que morrer crucificado e ressuscitar em seguida, quando abordadas sobre o assunto, por exemplo.

De fato, muitos são cristãos por causa da tradição cultural, e nem sequer acreditam que o conteúdo bíblico é verdadeiro e que Jesus Cristo realmente EXISTE

Muitos desconhecem que Deus é UMA PESSOA e ESTÁ VIVO, algo que está claramente expresso nas escrituras (leia Jó 19:25 e Atos 10:38-43); desconhecem também que para Ele estar dentro do coração de alguém, ou fazer parte da vida de alguém, é necessário seguir um "protocolo". Ele é simples, contudo, se não for feito, de maneira alguma Jesus Cristo poderá entrar no coração de um indivíduo. Este importante protocolo está devidamente publicado nas escrituras bíblicas e falarei sobre ele a seguir.

Precisamos ter o conhecimento de que Deus não trabalha aleatoriamente, ou movido por aparências e sentimentos. Ele estabeleceu alianças ou acordos com os homens, que tem como base leis e regras para cada caso dentro desses "contratos", e estas leis e regras são cumpridas à risca por Ele. De fato, Ele não age sem cumprí-las. Foi assim na Antiga Aliança (ou Antigo Testamento), e está sendo assim na Nova (Novo Testamento).

E é aí onde mora o problema! A maioria das pessoas que dizem ter Jesus dentro de seus corações não conhecem estes acordos e nem cumprem nenhum deles; elas são apenas SIMPATIZANTES de Jesus Cristo, e não SALVAS/REMIDAS por Ele e SUBMISSAS a Ele, ou ainda, não são HERDEIRAS DA VIDA ETERNA.

Segundo a nova aliança estabelecida entre Deus e os homens, o Senhor Jesus Cristo só se encontra nos corações das pessoas que o aceitaram como Rei (ou Único Senhor, ou Principal Governo) sobre suas vidas e como Salvador (ou redentor/justificador) diante do Pai, tendo declarado conscientemente essa condição perante alguma testemunha ou em público!

Claro, que, podem acontecer situações onde o sujeito não declarou Jesus Cristo seu Senhor e Salvador diante de testemunhas físicas, mas, ACREDITOU n'Ele e fez isso em pensamento após ter tido contato com a mensagem de salvação antes de morrer, por exemplo, num leito de hospital ou em uma outra condição onde não tivesse como falar com alguém, ou não pudesse falar. Nesse caso, as testemunhas são o Espírito de Deus e os anjos d'Ele. O Pai leva isso em consideração também, e aceita a confissão, se for feita de todo o coração.

O primeiro acordo estabelecido por Deus com os homens (chamado de Antiga Aliança) foi feito entre Deus e Abrão, e a adesão a esta primeira aliança exigia o cumprimento do seguinte protocolo:

"Quando Abrão estava com noventa e nove anos de idade o Senhor lhe apareceu e disse: Eu sou o Deus Todo-poderoso; ande segundo a minha vontade e seja íntegro. (...) Não será mais chamado Abrão; seu nome será Abraão, porque eu o constituí pai de muitas nações.(...) Esta é a minha aliança com você e com os seus descendentes, aliança que terá que ser guardada: Todos os do sexo masculino entre vocês serão circuncidados na carne. Terão que fazer essa marca, que será o sinal da aliança entre mim e vocês. Da sua geração em diante, todo menino de oito dias de idade entre vocês terá que ser circuncidado, tanto os nascidos em sua casa quanto os que forem comprados de estrangeiros e que não forem descendentes de vocês. Sejam nascidos em sua casa, sejam comprados, terão que ser circuncidados. Minha aliança, marcada no corpo de vocês, será uma aliança perpétua. Qualquer do sexo masculino que for incircunciso, que não tiver sido circuncidado, será eliminado do meio do seu povo." (Gênesis 17:1-14, NVI)

Deus só fez esta aliança com Abrão por que este ACREDITOU n'Ele, quando o Senhor disse que daria a Abrão uma grande descedência MIRACULOSAMENTE, visto que Abrão e Sarai já eram idosos e não podiam mais ter filhos (e, antes de ser idosa, Sarai era também estéril!):

"O Senhor falou a Abrão numa visão: 'Não tenha medo, Abrão! Eu sou o seu escudo; grande será a sua recompensa!' Mas Abrão perguntou: 'Ó Soberano Senhor, que me darás, se continuo sem filhos e o herdeiro do que possuo é Eliézer de Damasco?' E acrescentou: 'Tu não me deste filho algum! Um servo da minha casa será o meu herdeiro!' Então o Senhor deu-lhe a seguinte resposta: 'Seu herdeiro não será esse. Um filho gerado por você mesmo será o seu herdeiro'. Levando-o para fora da tenda, disse-lhe: 'Olhe para o céu e conte as estrelas, se é que pode contá-las'. E prosseguiu: 'Assim será a sua descendência'. Abrão creu no Senhor, e isso lhe foi creditado como justiça." (Gênesis 15:1-6, NVI)

O segundo acordo que Deus fez com os homens (chamado de Nova Aliança), que logicamente, substitui o primeiro, pois, foi feito entre Deus e toda a humanidade (pois o desejo de Deus não é somente salvar algumas pessoas, mas a todos que crerem e se submeterem as leis deste novo acordo de todo o coração), obedece ao seguinte protocolo:

  • Crer que Jesus Cristo homem, ou o Filho do homem, foi feito Filho unigênito de Deus na condição de ser humano sem pecado para ser morto em sacrifício a fim de pagar o preço pelas transgressões de toda a humanidade diante do Pai (Leia João 1:14; João 3:16-18; Romanos 5:8-9);
  • Crer que Jesus Cristo homem tomou posse da autoridade sobre toda a terra ao ressuscitar (ou tomou posse do domínio que Adão perdeu ao pecar contra Deus e que foi entregue a Satanás), tornando-se governo supremo eternamente sobre tudo e todos, o que lhe dá o título de Rei Soberano ou de Senhor Soberano, tornando-o único mediador entre Deus e os homens, ou o único caminho para que um indivíduo se reconcilie com seu Criador e se torne herdeiro da vida eterna (Leia 2Coríntios 5:18; Filipenses 2:9-11; 1Timóteo 2:4-6; Tito 3:7)
  • Declarar publicamente esta fé, na presença de testemunhas (salvo as condições citadas no sexto parágrafo deste texto), batizando-se nas águas (Leia Romanos 10:9,10; Mateus 28:19).

Lembrando que a Bíblia mostra uma exceção no cumprimento das condições deste novo acordo, que encontra-se no trecho a seguir:

"Havia uma inscrição acima dele, que dizia: ESTE É O REI DOS JUDEUS. Um dos criminosos que ali estavam dependurados lançava-lhe insultos: 'Você não é o Cristo? Salve-se a si mesmo e a nós!' Mas o outro criminoso o repreendeu, dizendo: 'Você não teme a Deus, nem estando sob a mesma sentença? Nós estamos sendo punidos com justiça, porque estamos recebendo o que os nossos atos merecem. Mas este homem não cometeu nenhum mal'. Então ele disse: 'Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino'. Jesus lhe respondeu: 'Eu lhe garanto: Hoje você estará comigo no paraíso'." (Lucas 23:38-43, NVI)

Dá para perceber que bastou apenas o criminoso deixar claro com suas palavras que acreditava que aquele homem crucificado ao seu lado era o justificador dele diante do Pai e era o Senhor, na presença do outro que escarneceu a Cristo, dos guardas e outras pessoas que ali estavam, que imediatamente recebeu d'Ele o perdão de seus pecados e a herança da vida eterna.

Aquele homem não teve tempo de se batizar nas águas e tampouco de se juntar aos que creram, a fim de cultuar ao Senhor, ou participar da Santa Ceia, pois morreu pouco tempo depois de sua confissão. Isso não quer dizer, absolutamente, que podemos viver como quisermos depois que recebemos Jesus Cristo como Senhor e Salvador das nossas vidas; se estamos ainda neste mundo, teremos que congregar com pessoas que professem a mesma fé (Leia Mateus 18:20, Hebreus 10:23-25), confirmar a confissão de fé com o batismo nas águas e celebrar a Santa Ceia (1Coríntios 11:23-26) conforme o Senhor Jesus Cristo ordenou.    

Então, temos liberdade de acreditar em Deus a nossa maneira e de dizer que Jesus está dentro dos nossos corações, contudo, isso não quer dizer que somos submissos a Ele e somos herdeiros da vida eterna que Ele promete dar. Não é Deus quem tem de se adaptar as nossas condições, e sim, nós as d'Ele, se realmente quizermos estar com Ele aqui e na eternidade, para sempre.

Uma curiosidade: quando Jesus falou as palavras abaixo, Ele não estava se dirigindo a pessoas que não acreditavam n'Ele, e sim, para uma igreja chamada Laodicéia!

"Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo." (Apocalipse 3:20)


Missionária Oriana Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo(a) ao Blog Sala Gospel. Sua mensagem será avaliada e se obedecer aos critérios de boa conduta será postada em breve. Agradecemos a compreensão.

O batismo de Jesus - Considerações sobre Mateus capítulo 3 - parte 2

Novo texto em construção. Aguardem a postagem! 😉👍🏻