sexta-feira, 15 de maio de 2020

Não há nada novo debaixo do sol.

Este trecho de Eclesiastes, um dos livros do Antigo Testamento, é muito interessante por nos levar a pensar sobre algo que geralmente não pensamos: a nossa verdadeira realidade.

O fechamento do raciocínio do trecho bíblico que está na imagem que abre o nosso texto se dá com as seguintes palavras:

Haverá algo de que se possa dizer: "Veja! Isto é novo! "? Não! Já existiu há muito tempo; bem antes da nossa época. Ninguém se lembra dos que viveram na antigüidade, e aqueles que ainda virão tampouco serão lembrados pelos que vierem depois deles.

(Rei Salomão, Eclesiastes 1:10,11)

Então, prosseguindo com a leitura de Eclesiastes, observamos o Rei Salomão explicar que não há nada que possamos dizer que é novidade na face da terra, porque elas estão sempre se repetindo.

Antes da maldade entrar no coração do homem, porém, a situação não era essa. Quando foi criado por Deus, o homem tinha acesso a todo o conhecimento espiritual acoplado ao material proveniente do seu Criador, e esse conhecimento é infinito. Ele vem trazendo sempre algo novo, agradável e útil para o homem. E Deus não compartilhava tudo de uma vez, pois assim o homem ficaria confuso, e não teria condições de compreender e também utilizar todas as informações de uma forma que lhe fosse saudável.

O conhecimento de Deus era diariamente entregue por Ele mesmo à humanidade, de forma gradual e progressiva, e assim todas as pessoas iam crescendo e amadurecendo em todas as áreas de suas vidas sem sofrimentos desnecessários, sem experimentarem sobrecarga de trabalho ou dúvidas que não fossem retiradas, sem experimentarem angústias de quaisquer natureza. Eles não precisavam sofrer para solucionarem situações, pois tinham acesso a todo conhecimento necessário direto DA FONTE!

No momento em que o homem escolheu viver independente de Seu Criador e se separou dEle, saindo do Reino de Deus, ele começou a resolver as situações conforme os desejos advindos da influência da maldade dentro de si, e não se interessava mais em acessar o Criador, ainda que este tentasse convencê-lo de que suas decisões iam lhe trazer sérias consequências, pois estavam desconectadas dos preceitos de Seu Reino, e, portanto, estavam indo de encontro a eles. 

O grande problema de agirmos conforme nossas paixões, ou segundo o que as aparências das coisas nos sugerem, é que isso provém da influência da maldade que se encontra naturalmente dentro de nós, e a qual o nosso Criador odeia. E Deus não pode tolerar a maldade, pois, toda vez que os seres humanos agem de acordo com o mal, estão sendo contrários aos princípios do Reino de Deus, e também estão agindo contra si mesmos, visto que todas as coisas foram criadas através desses princípios, e isso inclui o próprio homem.

O que Adão e Eva talvez não tivessem ideia, ou simplesmente não lembraram, quando se deixaram persuadir pelo Diabo, é que o conhecimento material sem estar associado ao espiritual fica sem sentido, e se torna finito, pois todo o universo material veio da realidade espiritual. Sem estar associado ao conhecimento espiritual, o conhecimento do mundo fica sem mais novidades, sem que haja mais nada a se acrescentar, de maneira que tudo acaba se tornando uma grande repetição que o homem sozinho, sem a participação de Deus, não tem o poder de modificar. 

Estudando o conteúdo da Bíblia e comparando com tudo o que acontece no mundo, percebemos que todas as coisas tem começo e fim; e depois que chegam ao estágio final inicia-se um novo começo da mesma coisa, que pode acontecer exatamente da mesma maneira ou com alguma variação na aparência, mantendo porém a mesma essência.

O homem não tem capacidade de acessar todas informações desde a sua criação sem a ajuda de Deus, e estando separado dEle, fica limitado e não tem condições de saber de tudo o que aconteceu no passado; assim, suas experiências no mundo acabam ficando sem nenhum sentido, dando a impressão de que as coisas parecem estar acontecendo aleatoriamente, se apenas as conclusões acerca do que acontece conosco e ao nosso redor estão sendo tiradas a partir da aparência material. 

Contudo, pelas escrituras bíblicas, sabemos que todas as coisas em nosso mundo e no universo estão embasadas por leis que não foram criadas pelo homem e as quais ele também não pode mudar, e que determinam os tempos e maneiras de cada coisa acontecer na natureza e também nas vidas das pessoas:

Para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu: tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou, tempo de matar e tempo de curar, tempo de derrubar e tempo de construir, tempo de chorar e tempo de rir, tempo de prantear e tempo de dançar, tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntá-las, tempo de abraçar e tempo de se conter, tempo de procurar e tempo de desistir, tempo de guardar e tempo de lançar fora, tempo de rasgar e tempo de costurar, tempo de calar e tempo de falar, tempo de amar e tempo de odiar, tempo de lutar e tempo de viver em paz. O que ganha o trabalhador com todo o seu esforço? Tenho visto o fardo que Deus impôs aos homens. Ele fez tudo apropriado a seu tempo. Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim este não consegue compreender inteiramente o que Deus fez.

(Rei Salomão, Eclesiastes 3:1-11)

Quando os historiadores e arqueólogos descobrem, em suas pesquisas de civilizações passadas, algumas coisas parecidas com as que temos hoje, só estão confirmando o que o Rei Salomão falou há quase três mil anos atrás. Pois é, nunca o homem esteve à frente de seu tempo, como algumas pessoas pensam.

Então, desde o princípio da criação, além de ter lhe dado toda a terra para dominar, Deus deu ao homem todo o tipo de bom conhecimento para que ele se desenvolvesse de maneira adequada, e a humanidade usufruía de tudo. Lendo as escrituras bíblicas, especialmente o livro de Gênesis, dá para se ter uma noção disso. E esse foi o fardo "tão pesado" que Deus impôs aos homens: Ele fez tudo apropriado a seu tempo, fez tudo organizado, para que o homem pudesse aproveitar bem tudo o que foi criado.

Não temos como saber exatamente como funcionavam todas as coisas na antiguidade, porque muitas informações se perderam com o tempo e infelizmente não há como restaurá-las. E se por causa da maldade no coração dos homens houveram guerras e muitas outras catástrofes que apagaram os registros e grandes feitos das pessoas, paciência. Isso acontece. Mas, graças ao conteúdo das escrituras bíblicas, sabemos que as coisas somente se repetem com uma roupagem nova.

E tem uma outra informação que preciso passar: por causa da maldade que vem crescendo nos corações dos homens, aquilo que os indivíduos tem chamado de "avanço tecnológico e científico" na verdade é só uma adaptação a diminuição gradual da suas força física e expectativa de vida.

Se hoje temos muitos medicamentos à disposição, que não haviam há séculos atrás, por exemplo, não é porque o homem está mais inteligente, e sim porque ele está mais doente, mais frágil. A operação da maldade (clique aqui para entender melhor sobre o que é a maldade, segundo a Justiça de Deus) faz com que os seres humanos fiquem mais fracos física e emocionalmente com o passar do tempo, e isso, por sua vez, faz com que busquem estabilizar as novas situações pesquisando maneiras de dominá-las, na medida do possível, para continuarem vivendo mais tempo com alguma qualidade de vida. 

Mas, a fraqueza e debilidade do homem continuam avançando, à medida que a maldade ganha terreno em sua vida, e essa situação as pessoas não poderão jamais enxergar e vencer sem a ajuda de seu Criador. Há no coração do homem "um anseio pela eternidade" que ele não entende, por interpretar as coisas apenas pelo que vê acontecer ao seu redor. As pessoas querem viver para sempre, e vem tentando driblar o envelhecimento e a morte com suas próprias forças, sem sucesso: pois o homem, sem a ajuda de Deus, só pode interferir na aparência, mas não pode parar o tempo, não pode impedir a ação da maldade nem se livrar da morte.

Para se ter uma noção do que falo aqui, vamos imaginar o seguinte: O que aconteceria se fizermos o mundo voltar a ser como era há 300 anos atrás, retirando da terra todos os medicamentos e máquinas usadas para ajudarem as pessoas a vencerem enfermidades e debilidades físicas diversas? - A resposta é que quase toda a população do mundo morreria em poucos meses, e muitos bebês nem conseguiriam nascer vivos, pois, no século XXI, pouquíssimas pessoas em nosso planeta conseguem viver bem ou mesmo sobreviver sem ajuda de medicamentos e/ou intervenções médicas, ainda na infância ou juventude; e, para alguns indivíduos, essa situação se inicia antes mesmo do próprio nascimento e depois se continua por toda a vida.

Já pensou sobre isso? Pois essa é a nossa real situação: espiritualmente, ela é a mesma desde o momento em que o primeiro homem escolheu ficar independente de seu Criador! Até agora a maioria dos seres humanos só prossegue sucumbindo à ação do mal, como mostra a palavra de Deus, sem o discernimento da raiz de seus problemas. 

Essa é uma circunstância infeliz que vem se desenrolando há séculos sempre encoberta por uma "aparência de evolução", mas, que, no entanto, unicamente pela verdade revelada nas escrituras, se torna aparente para nós. E o conteúdo da Bíblia não é somente capaz de nos revelar a verdadeira realidade que vivemos no mundo, mas também nos fornece informações que nos capacitam a dominar essa realidade má, até a volta do Senhor Jesus Cristo, onde ela será completamente aniquilada.

Missionária Oriana Costa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo(a) ao Blog Sala Gospel. Sua mensagem será avaliada e se obedecer aos critérios de boa conduta será postada em breve. Agradecemos a compreensão.

O batismo de Jesus - Considerações sobre Mateus capítulo 3 - parte 2

Novo texto em construção. Aguardem a postagem! 😉👍🏻